Machu%20Pichu_edited.jpg

Blog

   Thaís Lima   

Doença do Silicone e Cirurgia de Explante

Autoestima também é Autonhecimento. E por este motivo vim aqui compartilhar uma experiência pessoal que tive com Prótese de Silicone para os Seios.


No vídeo abaixo trago algumas reflexões acerca dessa decisão e o que ressignifiquei quando decidi fazer a remoção das minhas próteses:

De acordo com uma reportagem do Estadão, 60% das cirurgias de 2018 foram para fins estéticos. No Brasil, o procedimento que dispara há muitos anos é a de Prótese de Silicone.

No geral, a colocação de silcione nos seios é encarada pelos médicos como um procedimento de baixa complexidade e numa consulta de poucos minutos você sai com um pedido de alguns exames e cirurgia marcada. – Pelo menos foi assim para mim e para tantas outras mulheres que já conversei.


Você sabia que não são todas as mulheres que são candidatas a esse procedimento?

Você tem ciência de todos os riscos que esse procedimento envolve?

Você conhece a composição da sua prótese?


A maioria desses pontos não são explorados no momento da sua consulta, e muitas vezes você só vai descobrir elas quando a sua saúde já está BEM comprometida.


Todos os riscos não são divulgados pois há uma grande indústria que lucra com as próteses de próteses de silicone. Muitas empresas que produzem as próteses financiam congressos e estudos para camuflar a verdade tóxica desse mercado.


A prótese de silicone não é um elemento inerte e que se integra estruturalmente e bioquimicamente com as células e tecidos, como se fizessem parte deles [Fonte].


A prótese de silicone vai ser percebida dentro do seu organismo como um corpo estranho.

E o que o seu organismo faz quando percebe um corpo estranho? Tenta combatê-lo fortemente, na tentativa de expulsar e destruir esse invasor. Como ele não consegue expulsar, ele vai tentar isolar esse corpo estranho do resto do organismo criando uma cápsula fibrosa ao redor.


Imagine então o tanto que o organismo é sobrecarregado ao ter essa tarefa de tentar expulsar esse corpo estranho 24 horas por dia, 7 dias na semana!


Segue abaixo uma foto de uma das cápsulas removidas durante a minha cirurgia. Isso foi o que o meu corpo produziu num intervalo de 2 anos e meio:




Como o sistema imunológico passa a ser estimulado de forma contínua, isso pode desencadear em doenças autoimunes, onde as células de defesa vão atacar o próprio corpo.


Eu vou listar agora o conjunto de sintomas mais recorrentes, que foi dado o nome de Breast Implant Illness ou Doença do Silicone:


Sintomas da Doença do Silicone

  • Ansiedade

  • Fadiga

  • Dor nas juntas

  • Dor muscular

  • Insônia

  • Névoa cerebral

  • Dificuldade em se concentrar

  • Perda de memória

  • Formigamento / dormência dos membros

  • Vertigem

  • Febre / calafrios

  • Fraqueza muscular

  • Intolerância à temperatura

  • Sensibilidade à luz e som

  • Dificuldade em engolir

  • Queda de cabelo

  • Pele / cabelo seco

  • Cicatrização lenta

  • Sinusite

  • Doenças crônicas

  • Candidíase

  • Lesões na pele / erupções cutâneas

  • Pertubação visual

  • Zumbido no ouvido

  • Dor de cabeça

  • Depressão

  • Diminuição na libido

  • Dor aguda nos seios

  • Ganho de peso

  • Intolerância alimentar

  • Sintomas ou diagnóstico de doenças autoimunes

  • Sintomas da Síndrome de Fadiga Crônica

  • Sintomas de Fibromialgia

  • Palpitações cardíacas

  • Inflamação crônica

  • Intestisno / bexiga irritável

  • Falta de ar

  • Transpiração noturna

Como vocês podem notar, nem todos os sintomas são diretamente associados a região dos seios (como uma contratura, por exemplo). É por essa razão que muitas mulheres podem estar extremamente doentes e nem imaginarem que seus sintomas estejam associados as próteses.


Muitos dos sintomas juntos culminam na Sindrome ASIA (sigla em inglês para “síndrome autoimune induzida por adjuvantes”) onde nesse caso o silicone seria o adjuvante.


Quem trouxe esse assunto à tona na internet foi a Nicole Daruda em 2013. Ela tinha todos esses sintomas e não conseguia achar a causa deles, até que descobriu estudos que associavam essas complicações às próteses. Após a remoção, seus sintomas cessaram e ela criou a comunidade no Facebook Breast Implant Illness by Nicole e o site Healing Breast Implant Illness, para que mais mulheres pudessem ter acesso a essas informações. Hoje o grupo conta com mais de 100 mil mulheres.


Não demorou para que o tema se expandisse e no Brasil foi criado o grupo Doença do Silicone. Recomendo muito que acessem o grupo, que conta com mais de 30 mil mulheres compartilhando experiências, além de muitos materiais e artigos. Esse grupo foi essencial para o meu processo e sou infinitamente grata pelas moderadoras que trouxeram essa pauta para o Brasil! 🙂


É importante destacar que as complicações não ocorrem somente em próteses rompidas, mas em próteses íntegras também, porque o implante vai liberando diariamente substâncias na corrente sanguínea.


Além disso, para que uma prótese se rompa não é necessário que ela esteja antiga. Uma das minhas próteses, de 2 anos e meio, já estava vazando.


Agora você quer saber quais substâncias constituem a prótese? Tem um post muito bom do  Yogi.co que mostra que em análise de próteses da DOW, foram encontrados solventes, neurotoxinas e metais pesados em sua composição.



Uma outra complicação gravíssima é um tipo câncer associado ás próteses, que é o  Linfoma Anaplásico de Grandes Células Associado a Implante Mamário (em inglês, BIA-ALCL). Trata-se de um linfoma de células T associado a implante de silicone e que surge na cápsula fibrosa que envolve a prótese. O relatório de setembro de 2019 registra 779 mulheres com esse diagnóstico.


Você não tem prótese e está pensando em colocar? Pondere todos esses riscos e também faça uma reflexão acerca do que realmente te motiva. Dica: Veja o meu primeiro video desse post que traz algumas reflexões sobre o assunto. 🙂


Você tem prótese e já tem doença autoimune? Alerta vermelho. Há muitas chances da doença agravar. As próteses não são recomendadas nesse caso. Sugiro que assista a um dos stories de destaque da Dra. Bruna Pitaluga.


Você tem prótese, já tinha doença autoimune e percebeu piora nos sintomas ou os adquiriu? A remoção da prótese ou Explante é um caminho a ser considerado. Muitas mulheres relatam diminuição ou remissão total dos sintomas com a remoção da prótese.


Mais uma vez, recomendo muito a comunidade Doença do Silicone  Lá tem diversas informações, depoimentos e uma lista de sugestão de médicos que fazem explante. A comunidade foi essencial no meu processo e tem ajudado milhares de mulheres.


Se você pensa em fazer o Explante, tenha em mente as considerações que explico no vídeo abaixo:



O que eu senti?


Com 1 ano de prótese eu já vi que havia algo errado. Quando deu 2 anos, os sintomas já estavam insustentáveis e assim que fiz 2 anos e meio fiz a remoção.


Sintomas que tive:

– Contratura capsular – Dores constantes nos seios (eu sentia eles pulsando, de tanta dor) – Eu não conseguia dormir de lado, bruços, fazer esforço ou abraçar pessoas – Inflamação crônica – Queda de cabelo – Anemia de etiologia inflamatória


O que é a Cirurgia de Explante?


A cirurgia do explante consiste em remover a prótese do seu corpo, juntamente com a cápsula que se formou ao redor dela. É essencial que a cápsula seja removida também. Alguns médicos dizem que não é necessário remover e que o corpo as absorve, mas não caia nessa!


A cápsula guarda muitas toxinas, então se você retirar a prótese e manter a cápsula lá dentro, você vai continuar doente.


A cirurgia de explante é um procedimento mais complexo do que a colocação e que exige experiência de quem o realiza. A comunidade Doença do Silicone  possui uma lista de profissionais aptos a realizá-la.


Considerações importantes sobre a cirurgia de Explante


Se a sua prótese for subglandular , você deve exijir que a remoção seja en-bloc (que é a remoção da prótese junto com a capsula completamente íntegra, onde ambos são removidos juntos). Segue abaixo um exemplo que achei no Google:

Se a sua prótese estiver no plano submuscular pode se que a remoção en-bloc não seja possível, pois ela pode estar muito aderida. Nesse caso, exiga que seja feita a Capsulectomia Total, que é a remoção total das cápsulas, mesmo que ela seja removida em pedacinhos.


Além disso, todo material precisa ser enviado para análise, para garantir que não há nenhum indício de malignidade. Exija fotos e vídeos da prótese e cápsula após a remoção


Antes e Depois do Explante


Ao contrário do que muitos médicos falam, o seu corpo volta SIM ao que era antes. A pele volta ao normal e, caso você tenha amamentado ou seu seio esteja com maior flacidez, pode ser feita uma mastopexia junto, na qual a pele excedente será removida.


No meu caso, apesar de ter colocado uma prótese relativamente grande (260ml), não precisei fazer mastopexia. Fiz somente a remoção simples.


Fiz abaixo uma pequena montagem para que vejam o resultado:




É super importante destacar que o seio  vai mudando MUITO ao longo das semanas e meses, e pode mudar até o período de um ano.


Na primeira semana é comum que o seio fique meio “vazio” e mais “chapado”, pois é tudo muito recente. Aos poucos, parece que ele vai tomando forma e se “preenchendo”. É impressionante como o corpo humano é perfeito e se regenera!


A pele também volta e “cola” novamente, ficando como era antes do procedimento. No meu caso não notei nenhum tipo de flacidez posterior… o que acontece é que o peito ficou mais “molinho” , mas não notei sobra de pele.  Achei que ficou até melhor do que antes!


Pós-operatório


Cada indivíduo é único, mas no meu caso, minha recuperação foi excelente e extremamente rápida.

Fiz a cirurgia numa terça-feira de manhã, e ela durou umas 3 horas. Passei a noite no hospital e na tarde seguinte já estava indo embora. Ao sair do hospital já não estava com dor nenhuma e nos dias seguintes nem precisei de analgésico. Fiquei com um dreno até sexta-feira e no mesmo dia voltei ao trabalho (já que trabalho apenas usando notebook). Minha recuperação foi muito rápida e tranquila! Nem se compara com a colocação 🙂

Também usei uma faixa de compressão por 7 dias.


O meu médico fez um acompanhamento muito próximo. Fui ao consultório quase todos os dias na primeira semana, apenas para garantir que estava tudo bem. Depois disso, ía algumas vezes na semana para fazer drenagem e posteriormente fazer um aparelho de sucção.


O acompanhamento foi muito próximo durante os 4 meses inciais.


O meu médico foi o Dr. José Cassio Rossi Vieira, do Instituto Sedes Humanitatis, que fica em São Paulo nos Jardins.


A comunidade do Facebook possui uma lista de médicos que estão aptos a realizar o procedimento.


Cicatriz


A cicatriz costuma ser maior do que a inicial. Quando fiz a colocação a minha cicatriz ficou hipertrófica e era super dolorida quando fazia algum movimento, mesmo após 2 anos.


Notei que a cicatriz do explante ficou muito melhor, mais fina e a dor que tinha antes na cicatriz passou. Eu não tenho uma cicatrização excelente, mas na minha percepção a do explante ficou muito boa! Ela não me incomoda em nada 🙂


Tem aproximadamente 7,5cm.

Cada médico vai fazer uma recomendação de cuidados e é indicado que você siga o que seu médico prescrever. No meu caso, usei hipoglós nos primeiros meses e depois Contractubex + Oleo de Rosa Mosqueta. Cicatriz é algo que leva tempo, mas acredite… isso é o de menos no saldo final disso tudo.




Como eu me sinto hoje?


Bom, comentei tudo no primeiro vídeo da postagem. Mas pra resumir, hoje não tenho mais nenhum dos incômodos que tinha!

Minha relação com o meu corpo mudou totalmente e estou extremamente feliz com o resultado! 😀


Meus exames após o Explante


Fiz a cirurgia em Dezembro/19 e em Setembro/20 fiz o meu primeiro check-up pós-explante e tive a confirmação daquilo que já sentia no corpo: todos os exames voltaram aos níveis normais! 🙏😊


No meu caso, a inflamação crônica não só causou muitas dores mas também uma anemia que só piorava, mesmo tomando altas doses de ferro.


Na época, a minha hematologista disse que tal anemia era por conta do processo inflamatório crônico que eu tinha, e que não adiantaria nada me entupir de ferro se a causa da inflamação continuasse no corpo (ou seja, as próteses).


Desde que fiz o explante não tomei mais ferro ou outro tipo de suplemento vitamínico. Bastou remover o agente inflamatório (próteses) para que o corpo se auto regulasse voltasse a normalidade!


Resolvi compartilhar alguns prints de exames antes das próteses, com as próteses e após o explante para que vejam que as alterações no organismo são reais.


Como diz o grupo americano, the heal is real! 🤩

Confira abaixo:







Links de Reportagens e Estudos


Reportagens



Livros

  • Are your gake boobs making you sick? – Len Herrera

  • The Boobie Trap – Barbara Stanistreet

  • Breats Impants – Nancy Bruning

  • Let me get this off my chest – Tara Hopko

  • Breast Implant Ilness – Gloria Rose

Artigos científicos


Acompanhe outros perfis


Explante de Silicone – https://www.instagram.com/explantedesilicone/

Silicone Free – https://www.instagram.com/silicone.free/

Taty Alencar – https://www.instagram.com/tatyalencar/

Fe Neute - https://www.instagram.com/feneute

Lala Almeida – https://www.instagram.com/lalaidealmeida/

Dra Bruna Pitaluga – https://www.instagram.com/drabrunapitaluga/

Dr William Itikawa – https://www.instagram.com/dr.williamitikawa/


COMPARTILHE ESSE ASSUNTO COM MAIS MULHERES :)


Deixe seu comentário e bora levar esse assunto adiante!